Engenharia em favor da Sustentabilidade Ambiental, Econômica e Social.

Cairara (Cebus kaapori)

Cairara (Cebus kaapori)

 

NOME CIENTÍFICO: Cebus kaapori Queiroz, 1992

FILO: Chordata

CLASSE: Mammalia

ORDEM: Primates

FAMÍLIA: Cebidae

STATUS DE AMEAÇA: Ameaçada

 

INFORMAÇÕES GERAIS:

Cebus kaapori, como os demais táxons do gênero, é um primata arbóreo de tamanho médio e hábitos generalistas. Apresenta cauda semipreênsil e possui polegares oponíveis, que lhe conferem grande capacidade de manipulação. O cairara Ka'apor é uma espécie do grupo "sem tufo" (subgênero Cebus sensu Silva Júnior, 2001), apresentando uma pelagem aguti, com coloração marrom-acinzentada nas partes superiores e nos dois-terços proximais da cauda, e cinza-prateada na garganta, tórax, abdômen, espáduas, região frontal da parte próxima aos membros anteriores e do pincel caudal (Queiroz, 1992; Silva Júnior, 2001). A raridade natural do cairara ka'apor tem sido reconhecida por todos os autores que trabalharam com a espécie no campo (Lopes, 1993; Lopes & Ferrari, 1993; Ferrari & Queiroz, 1994; Ferrari & Lopes, 1996; Lopes & Ferrari, 1996; Silva Júnior & Cerqueira, 1998; Carvalho Júnior et al., 1999; Carvalho Júnior, 2003). Dados etnológicos indicaram que o cairara ka'apor é utilizado como xerimbabo (animal de estimação) entre os índios Awa (Cormier, 2000), sendo amamentado no peito pelas mulheres lactantes e exercendo a função de "cão de guarda" das aldeias na idade adulta (H. L. de Queiroz, obs. pess.).

 

C kaapori parece ocorrer em baixas altitudes, tendo sido observado apenas em matas altas de terra firme. (Lopes, 1993; Lopes & Ferrari, 1996; Silva Júnior & Cerqueira, 1998; Carvalho Júnior et al., 1999). A espécie ainda não foi avistada em florestas secundárias e em ambientes alagáveis ou de vegetação aberta. Os estudos já realizados mostram que os grupos são pequenos e que o táxon é pouco abundante (Lopes, 1993; Lopes & Ferrari, 1996; Silva Júnior & Cerqueira, 1998; Carvalho Júnior et al., 1999; Carvalho Júnior, 2003). As baixas densidades são atribuídas, em parte, à competição interespecífica com Cebus apella (Carvalho Júnior et al., 1999). Grande parte das observações indica a presença de indivíduos solitários e de associações relativamente frequentes Chiropotes satanas (Lopes, 1993; Silva Júnior & Cerqueira, 1998; Carvalho Júnior et al., 1999).

 

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA:

Amazônia oriental, ao sul do rio Amazonas, no leste do Pará e oeste do Maranhão. O limite oeste foi fixado na margem direita do rio Tocantins, mas os limites norte, leste e sul permanecem indeterminados. A área de ocorrência da espécie está completamente fragmentada, dada a grande atividade antrópica na Amazônia oriental.

 

PRINCIPAIS AMEAÇAS:

Cebus kaapori possui uma das menores áreas de distribuição geográfica entre as espécies do gênero Cebus. Essa área coincide com a região de ocupação humana mais antiga e mais intensa da Amazônia oriental. A maior ameaça ao cairaraa ka'apor parece ser a perda e a fragmentação de seu hábitat. As atividades humanas na Amazônia oriental têm causado enorme devastação de áreas de florestas, com a presença de grandes centros urbanos, áreas de garimpo e grandes empreendimentos envolvendo exploração madeireira e atividades agropecuárias. A raridade natural da espécie, que já foi extinta em grande parte de sua área de distribuição original, constitui elemento agravante dessa situação. A paisagem remanescente está muito fragmentada, havendo continuidade do processo de desmatamento nos dias atuais. Assim como Chiropotes satanas e outras espécies de mamíferos da região, o cairara ka'apor também pode estar sendo ameaçado por atividades de caça fácil, tendo em vista a maior facilidade de acesso às florestas e o desaparecimento de outras espécies cinegéticas. A continuidade na fragmentação de seu hábitat provavelmente aumentará essa fonte de pressão.

Pesquisar no site