Engenharia em favor da Sustentabilidade Ambiental, Econômica e Social.

Produtos da agricultura familiar chegam às grandes redes de supermercados

05/08/2011 19:42

Farinha de mandioca de Arapiraca, em Alagoas, geleia de maracujá da Bahia e suco de laranja in natura de Sergipe são alguns dos produtos da agricultura familiar da região Nordeste que serão distribuídos em supermercados da região em poucos dias. Os produtos chegarão aos estabelecimentos com o selo da agricultura familiar , em iniciativa que facilita a conquista de mercado em larga escala por parte dos pequenos agricultores reunidos em cooperativas.


A ação articulada pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), por meio de acordo assinado com a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), faz parte do Plano Brasil Sem Miséria e começa com os produtos dos três estados nordestinos. “A ideia é apresentar esses produtos ao consumidor”, afirmou Paulo Pompilio, diretor de Relações Institucionais do Grupo Pão de Açúcar, nessa segunda-feira (25), na cidade alagoana, durante o anúncio de uma série de ações pela presidenta Dilma Rousseff e pela ministra Tereza Campello.

“Vamos colocar dois produtos em 60 lojas do Pão de Açúcar”, comemora Adilson Ribeiro, presidente da Cooperativa Agropecuária Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá (Copercuc). A agricultura familiar dos três municípios baianos produz geleias, compotas, doces de goiaba (em corte e cremoso), maracujá e umbu. Com selo da agricultura familiar, certificado de exportação e produtos orgânicos, os 180 cooperados exportam para Itália, França e Áustria, mas ainda não conquistaram o mercado de varejo brasileiro. A produção anual se aproxima de 300 toneladas.

A aquisição de um equipamento para padronização e empacotamento vai reduzir os custos em 20% e garantir escala de produção da farinha de mandioca para colocação no supermercado. “Com a empacotadeira, a produção passa de 12 toneladas por semana para 16 por dia“, revela o gerente de Negócios da Cooperativa Agropecuária de Campo Grande (Cooperagro), Eloísio Barbosa Lopes Júnior.

A medida é a primeira ação de inclusão produtiva do Brasil Sem Miséria que visa aumentar a renda dos pequenos agricultores, especialmente dos que estão na extrema probreza – renda mensal por pessoa de até R$ 70. É o caso de praticamente todos os integrantes da Cooperagro. Segundo Lopes Júnior, a média de renda dos produtores de mandioca de Arapiraca gira em torno de R$ 3 mil por ano por família.

O representante da cooperativa destaca que a venda da farinha para supermercado é a única saída para os pequenos agricultores conquistarem escala na produção. “Mesmo com marca registrada e código de barra, a farinha de mandioca da Cooperagro não conseguia chegar ao mercado”, observa Lopes Júnior. O gerente da cooperativa declara que só com a articulação montada pelo Plano Brasil Sem Miséria, coordenado pelo MDS, foi possível aumentar a produção das 221 famílias cooperadas.

Presidente da Cooperativa de Agricultura Familiar de Canudos, Uauá e Curaçá, Adilson Ribeiro Em Sergipe, a iniciativa vai beneficiar 510 agricultores familiares de nove cidades. Eles produzem 3,5 mil litros de suco de laranja in natura comprados até agora pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). Com a inclusão do suco na rede de supermercados G. Barbosa, a expectativa é de dobrar a produção em dois meses.

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, declarou que o acordo com a Abras significa inclusão para os pequenos agricultores, que poderão ter seus produtos vendidos não só para o PAA, mas também pela iniciativa privada. “Estaremos neste mês nos supermercados, garantindo que a produção da agricultura familiar seja comprada por todos os brasileiros”, concluiu.

 

Fonte: Portal da Presidência
Portal Brasil
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Pesquisar no site