Engenharia em favor da Sustentabilidade Ambiental, Econômica e Social.

Premiação internacional reconhece Programa Cisternas

28/09/2011 11:20

A ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), Tereza Campello, participou em Porto Alegre, na segunda-feira (26), da solenidade de entrega do Prêmio Água e Saneamento pelos resultados do Programa Cisternas, que construiu mais de 350 mil unidades para o consumo de água das famílias do Semiárido. O prêmio é patrocinado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e pela entidade Fomento Econômico Mexicano (Femsa). 

Em sua terceira edição, o Prêmio Água e Saneamento reconhece autoridades públicas e operadores de serviços na América Latina e Caribe que tenham implantado soluções inovadoras e efetivas para problemas relacionados a água potável, esgotamento sanitário, tratamento de águas residuais e gestão de resíduos sólidos. O prêmio tem três categorias: Água, Saneamento e Resíduos Sólidos. O evento ocorreu durante o Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, organizado pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes).

Além de receber uma escultura que simboliza o prêmio, o MDS terá direito ao financiamento de bolsas de capacitação profissional, que incluirão custos de viagem, diárias e participação em cursos de especialização. As bolsas incentivam a qualificar da gestão no setor, e os ganhadores de cada categoria indicarão as pessoas a serem agraciadas. 

O Programa 

A cisterna é uma tecnologia popular para captação e armazenamento de água da chuva e representa solução de acesso a recursos hídricos para a população rural do Semiárido brasileiro, que sofre com os efeitos das secas prolongadas durante até oito meses por ano. A instalação permite armazenar 16 mil litros de água, o suficiente para uma família de cinco pessoas beber e preparar alimentos. É construída com placas de cimento, por meio de tecnologia popular, que capta a chuva do telhado e a escoa para os reservatórios. 

O MDS também financia a implantação de reservatórios para o apoio à agricultura familiar na produção de alimentos para o autoconsumo. Família que já tem a primeira água recebe esse outro benefício. São sete tipos de reservatórios: cisterna calçadão, barragem subterrânea, tanque de pedra ou caldeirão, barraginha, cisterna enxurrada e bomba d’água popular (BAP).

Desde 2003, o MDS implantou mais de 401 mil cisternas, que significam 401 mil famílias beneficiadas com o acesso água e outras 10 mil unidades para a produção de alimentos, que atendem 12 mil famílias.

 

Fonte:    Portal da presidência

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Pesquisar no site