Engenharia em favor da Sustentabilidade Ambiental, Econômica e Social.

Agricultores familiares começam a realizar financiamentos da Safra 2011/2012

09/07/2011 14:33

Agricultores familiares de todo o Brasil já podem realizar contratos de financiamento pelo Plano Safra 2011/2012 e podem se beneficiar com as novas taxas de juros nos financiamentos de investimento e as medidas vigentes para a nova safra. Pela primeira vez na história do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura (Pronaf), os agricultores familiares começaram a realizar financiamentos do ano safra no primeiro dia de julho.

Na sexta-feira (1°) foram publicadas no Diário Oficial da União (DOU) as portarias de equalização que autorizam os bancos a financiarem as operações de crédito rural. A antecipação da data foi resultado de uma ação articulada entre os ministérios do Desenvolvimento Agrário (MDA), da Fazenda e do Planejamento e o Banco Central.

A agricultura familiar terá à disposição no Plano Safra 2011/2012 R$ 16 bilhões para as linhas de custeio, investimento e comercialização do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Do total disponibilizado, R$ 7,7 bilhões serão destinados a operações de investimento e R$ 8,3 bilhões, para operações de custeio.

 

Condições para plantar

“Agora, vou poder pagar o custo da lavoura, comprar o adubo e a semente”, comemorou o agricultor Lercy Antonio Mouresco, 68 anos, do município de Água Santa (RS), que tomou crédito na sexta-feira passada. Mouresco foi um dos 60 agricultores familiares do Brasil que realizaram contratos no primeiro dia de vigência do Plano Safra 2011/2012. Sócio de uma cooperativa em Água Santa, ele financiou o plantio da lavoura de trigo por meio do Pronaf. "Sem o financiamento, não teria condição de plantar", diz o agricultor.

“Para os agricultores familiares, a possibilidade de acessar o crédito na primeira semana de julho significa adquirir os insumos, especialmente adubo e sementes, numa fase do ano em que os preços estão mais baixos”, explica João Luiz Guadagnin, diretor do Departamento de Financiamento e Proteção ao Crédito da Secretaria da Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (SAF/MDA). Guadgnin estima que a compra dos insumos necessários à safra neste período pode ter uma redução do custo de produção de cerca de 15% a 20% em relação aos meses de setembro, outubro e novembro, dependendo da cultura e da região.

"Os bancos já estão operando plenamente o Plano Safra, com sistemas e normas nas agências. Isso só foi possível com a interação de todos os agentes do governo", destaca o gerente executivo da diretoria de Agronegócios do Banco do Brasil, Frederico Piauilino. "As definições do governo em momento oportuno fazem com que o agricultor tenha mais tranquilidade para conduzir seu empreendimento."

 

Presidenta destaca Plano Safra

No programa de rádio Café com a Presidenta desta segunda-feira (1º), a presidenta Dilma Rousseff ressaltou as condições do Plano Safra da Agricultura Familiar 2011/2012. "Estamos oferecendo para a agricultura familiar juros mais baixos e a ampliação de crédito para o investimento. Também estamos oferecendo ao agricultor um prazo maior para pagar os seus investimentos."

Dilma afirmou que "a melhoria das condições vai permitir ao produtor pegar um empréstimo para aumentar sua área de produção, comprar maquinas e sementes e, assim, ele vai vender mais produtos e aumentar a sua própria renda."

 

Fonte: Portal da Presidência

Portal Brasil
Ministério do Desenvolvimento Agrário

Pesquisar no site